Confira como vai o funcionamento da Fazenda da Esperança na Diocese de São Luís de Montes Belos

Inaugurada em 2014, como obra concreta da Diocese de São Luís de Montes Belos, com o intuito de contribuir com os dependentes químicos que querem se recuperar, a Fazenda da Esperança, localizada entre os municípios de Firminópolis e Aurilândia, continua acolhendo homens de diversas localidades. O ciclo dura um ano, que vai desde a acolhida até o retorno para a família. O tratamento é todo gratuito, mas cheio de obrigações, tanto para os internos, quanto para as famílias. Doações, trabalhos na própria fazenda, além da produção e venda dos produtos são as formas de pagamento. Para entrar na fazenda para o tratamento é preciso passar por uma triagem.

O primeiro passo é mandar uma carta, escrita de próprio punho pelo jovem que quer se tratar da dependência química. Depois é necessário passar por uma bateria de exames, com avaliação da saúde física, dentária e psicológica. Por fim, uma entrevista.  Aqueles que passam pela fase de acolhida aos poucos se integram no ritmo da fazenda. Com o tempo se tornam, eles mesmos, parte da própria estrutura de tratamento. Viram voluntários que ajudam os outros internos a darem, como eles, os próprios passos. Ao fim dos 12 meses de tratamento podem ser até integrados à estrutura maior que envolve as outras fazendas do Brasil e do Exterior. Na unidade da região existem hoje 15 acolhidos e 03 voluntários.

Confira no áudio abaixo a entrevista que a Neide Lira e o Aparecido Eterno fizeram com o coordenador da Fazenda da Esperança na Diocese de São Luís, Hulderick Ernando (Nando). Inicialmente ele dá um testemunho de sua recuperação:

 

 

 

 

 

Conteúdo relacionado

Comente e participe conosco:

0 comentários

Últimos destaques

Acompanhe a RDR nas Redes Sociais

Leia também